Se alguém ainda duvida da importância de conhecermos o passado para construirmos o nosso futuro, então que revogue todos os conhecimentos acumulados pela humanidade até a presente data. J.U.Nassif

segunda-feira, julho 10, 2006

RANDALL JULIANO

Conheci Randall Juliano pela televisão, quando ele ainda fazia o Programa “Astros do Disco” na década de 1960.Mais tarde fez muito sucesso com “Quem Sabe, Sabe!” na TV Cultura. Nunca imaginei que ele seria meu professor por dois anos seguidos. Houve uma empatia mútua. Da relação de professor e aluno nasceu, uma amizade sincera. Mudei-me para Piracicaba, mas mantivemos um contato constante. Hoje, recebi a notícia do seu falecimento. Imediatamente liguei para a sua casa. Uma de suas filhas, disse-me, que ele deitou-se para descansar um pouco. Enquanto sua esposa e suas filhas cuidavam dos seus afazeres. Uma delas, ao passar pelo quarto achou que a respiração do pai não estava como de costume. Foram verificar. Ele tinha morrido, praticamente durante o sono, na noite de 09 de julho de 2006. Nos últimos anos Randall era a imagem do sofrimento e dor. Embora conservasse a lembrança dos traços do galã que tinha sido, um verdadeiro astro, era de estatura alta, imponente. Mas sentia-se amargurado. Com o que ele nunca me disse. Apesar das longas conversas que tivemos. Imagino que tenha sido com as avaliações erradas que havia feito da natureza humana. Passei a admirar o esforço e a dignidade com que ele lutava. Astros do Disco foi uma super produção de gala da Record, apresentada por Randall Juliano, Idalina de Oliveira e outras apresentadoras colaboradoras. Esse programa introduziu o troféu Chico Viola, para premiação das músicas mais executadas durante o ano. Astros do Disco se iniciou nos anos 50 e se estendeu pela década de 60. Como locutor na Jovem Pan conquistou muitos ouvintes. Na última vez que falei com ele, o seu humor procurava superar todas as dificuldades. Ele então me disse: - Nassif, estou preparando dois livros sobre a verdadeira história da televisão brasileira, só que farei o lançamento de avião! Para que não me matem! Demos muita risada. Se algum dia Randall errou, podemos lembrar da célebre frase: "Quem não for pecador, atire a primeira pedra", já disse o próprio Jesus. Posso sem sombra de dúvida dizer que conheci em Randall um homem triste e injustiçado. Amargurado. Decepcionado com a volatilidade da fama e dos amigos que se apresentam e somem com a velocidade da luz, conforme brilha a estrela do ídolo. Os fariseus de plantão estão sempre dispostos a servir quando percebem que as migalhas que sobrarem estarão disponíveis. Randall Juliano, em seu momento de profunda dor deu aos seus alunos a melhor das aulas: o exemplo da coragem ! Lamento sua perda. Sobra aos familiares a dor da sua ausência. Hoje a noite tem mais um astro brilhando nos céus: Randall Juliano Mattosinho!
João Umberto Nassif - e-mail: joao.nassif@ig.com.br.

Arquivo do blog