Se alguém ainda duvida da importância de conhecermos o passado para construirmos o nosso futuro, então que revogue todos os conhecimentos acumulados pela humanidade até a presente data. J.U.Nassif

"A força está na serenidade do ânimo e no equilíbrio dos sentimentos."

sexta-feira, janeiro 11, 2008

RANDALL JULIANO

F. Skilnik has left a new comment on your post "RANDALL JULIANO ": É a primeira vez que escrevo para um blog... decidi também deixar registrada a minha homenagem ao Sr. Randall Juliano. Entrei no Google e digitei "Quem sabe, sabe" no desejo (sem sucesso) de encontrar algum site saudosista sobre este programa, que foi (creio) um dos poucos entreterimentos televisivos realmente inteligentes da história da TV brasileira. (E imaginar quantas daquelas perguntas poderiam ser hoje respondidas pelos fãs do Big Brother é de deixar qualquer um revoltado...) Experimentei então "Randall Juliano" e cheguei aqui. Lamento pelo falecimento, lamento pelas informações tristes dadas pelo Sr. Nassif e sou solidário ao sentimento do astro lembrando a célebre frase de outro admirável professor e homem de inteligência incomum:"Only two things are infinite, the universe and human stupidity, and I'm not sure about the former." Albert Einstein (1879 - 1955)

CARO F. SKILNIK:
Agradeço sua visita ao blog.
Tive o privilégio de conviver com o Professor Randall Juliano por um período de tempo. Concordo plenamente com sua observação sobre "Quem sabe, sabe" O rádio foi criado com a função de educar.
Lee De Forest, foi o cientista que inventou o triodo, a válvula sem a qual o rádio não existiria e a televisão também não existiria! É considerado o “pai do rádio e avô da televisão”. Ele viveu de 1873 a 1961. Recebeu uma homenagem muito bonita em que literalmente todas as organizações de rádio, todas as empresas de televisão, resolveram fazer uma homenagem monumental para ele. Nesse dia De Forest disse: “O que vocês fizeram com meu filho? Criei um veículo eletrônico para uma forma superior de ensino e entretenimento, para tornar melhores, mais cultas, mais sensíveis e mais responsáveis as pessoas... E vocês, no entanto, o converteram nisso que aí esta, um instrumento degradante, nauseabundo, de envilecimento humano desde a mais tenra idade!”.

Arquivo do blog