Se alguém ainda duvida da importância de conhecermos o passado para construirmos o nosso futuro, então que revogue todos os conhecimentos acumulados pela humanidade até a presente data. J.U.Nassif

"A força está na serenidade do ânimo e no equilíbrio dos sentimentos."

terça-feira, março 04, 2014

LUIZ CLAUDIO MORATO DO CANTO


PROGRAMA PIRACICABA HISTÓRIAS E MEMÓRIAS
JOÃO UMBERTO NASSIF
Jornalista e Radialista
joaonassif@gmail.com
Sábado, 01 de fevereiro de 2014.
Entrevista: Publicada aos sábados na Tribuna Piracicabana
As entrevistas também podem ser acessadas através dos seguintes endereços eletrônicos:
http://blognassif.blogspot.com/

 
 


ENTREVISTADO: LUIZ CLAUDIO MORATO DO CANTO
 
Pianista no refinadíssimo Grande Hotel Senac Aguas de S Pedro, no Restaurante Engenho, a mais de uma decada, é também organista da Catedral de Piracicaba, onde atua em eventos especiais como casamentos, missas. Luiz Claudio transmite segurança e tranquilidade. Além de musico é também professor de química. ( O célebre músico Erotides de Campos, autor de Ave Maria também era professor de quimica no Instituto Sud Mennucci). Nascido em Piracicaba a 19 de outubro de 1959 é filho de Luiz Gonzaga do Canto e Gertrudes Mendes da Silva Canto. Sua mãe era do lar, seu pai era protético, tiveram nove filhos: Antonio, João Batista, Elizabete, Conceição, Apolonia, Francisco, Luiz Cláudio, Luicio Celso e Marta. Quando Luiz Claudio nasceu a família morava na àgua Branca, proximo a Indústrias Marrucci.
Seu pai trabalhava onde?
Ele fazia em casa as dentaduras, também conhecidas como “chapas”. Como protético prático, só no final da sua vida é que obteve diploma com as notas máximas. Ele trabalhava muito junto aos sítios da região, cidades vizinhas, não havia tantos dentistas como hoje. O meu pai criou os nove filhos fazendo dentaduras. Ele moldava, cozinhava, preparava tudo. Ele não era cirurgião, só fazia prótese. Ele tinha todo equipamento em casa, eram equipamentos bem antigos, não tinha motor, era movido pisando no pedal. Tinha as muflas (tipo de estufa para altas temperaturas). Até hoje existem pessoas que usam dentaduras feitas por ele que faleceu há 27 anos. Ele era muito perfeccionista, um excelente profissional. Muito honesto, não cobrava caro.
Ele mudou-se da Água Branca para que bairro?
Em 1964 ele mudou-se para a Rua Brasilio Machado, 2868, bem em frente a Igreja São José, ao lado do bar. Ele cantava no coral da igreja, acredito que foi ai que surgiu a minha vocação pela musica. Nessa época a cidade terminava logo ali, na Rua Nova. Dali para baixo era o chamado “Risca Faca”. Adiante do “Risca Faca” era só mato, sítio.
Onde você realizou seus estudos?
Os dois primeiros anos eu estudei no Grupo Escolar Dr. João Conceição, já funcionava no prédio novo, na Rua Marquês de Monte Alegre.  comecei a estudar em 1970. Até o terceiro colegial estudei em Rio das Pedras, eu morava com a minha tia. O terceiro e quarto ano primário estudei no Grupo Escolar Barão de Serra Negra em Rio das Pedras e o ginásio e colegial fiz no Ginásio Manoel da Costa Neves, mais conhecido como “Macone”. Minha tia morava em uma fazenda bem na entrada de Rio das Pedras, chamava-se Fazenda Fortaleza, em frente onde hoje há a imagem de São Cristóvão. Ali havia muitos casarões antigos, em um desses casarões morava minha tia. Morei oito anos lá. Em 1978 entrei no Banespa, situado na Rua Moraes Barros 848, Piracicaba, eu tinha 18 anos.
Em que ano você começou a se interessar por música?
Foi por volta de 1974, eu morava em Rio das Pedras, minha avó Guiomar Elizabete Morato do Canto gostava de piano e poesia. Havia piano em sua casa, estudou no Grupo Escolar Barão do Rio Branco, em Piracicaba. Eu morei uma época com ela, todas as noites após rezar para dormir ela ficava fazendo as escalas musicais no travesseiro, como se fosse um teclado. Ela faleceu em 1975, logo depois eu comecei a estudar música, estudei harmônio.  (instrumento musical de teclas, cujo funcionamento é muito similar ao de um órgão). Órgão é um instrumento muito caro, as igrejas tinham harmônio. Em 1977 descobri o piano, na casa de um amigo em Rio das Pedras. Eu achava que sabia muito sobre musica, com o piano descobri que não conhecia nada. Foi um desastre na frente dos amigos. Aquilo se tornou um desafio para mim. A partir dessa época passei a estudar. Em 1978 vim morar em Piracicaba, na Rua Conselheiro Costa Pinto, 907. Nessa época eu já estava tocando órgão durante as missas, casamentos. As músicas mais tocadas era a Marcha Nupcial, Jesus Alegria dos Homens, Tema de Lara, Dr, Jivago, Love Story. Em julho de 1978 entrei no banco, fui trabalhar no horário da uma hora da tarde até as sete horas da noite. Por 17 anos trabalhei no Banespa, como caixa. O banco me ajudou muito, trabalhava seis horas por dia, dava tempo de estudar musica. A minha vida sempre foi uma batalha, só que lenta, me formei em piano aos 29 anos. Aos 53 anos me formei em biotecnologia. O ginásio conclui em 1975. O curso de pianista conclui em 1989 no Conservatório Dramático e Musical que ficava na Rua Prudente de Moraes, era das irmãs da Vila Rezende. Os diplomas eram reconhecidos pelo MEC. Esse diploma foi muito útil quando sai do Banespa em 1996, o Banespa foi vendido para outra instituição, houve um PDV ( Plano de Demissão Voluntária) eu participei dele. tinha uma sorveteria em frente ao Ginásio Dr. João Conceição, ali ficamos de 1990 a 1995. Fui organista da Igreja São José por 18 anos, de 1978 a 1996, quando me tornei um dos organistas da Catedral de Santo Antonio. Abri duas escolas de música, uma delas se chamava Centro Musical Souza Lima. Em 2000 eu e minha família fomos vitimas de um assalto dentro da nossa própria casa. Isso nos trouxe muitos problemas, uma das conseqüências foi o encerramento da minha escola de musica. Passei a dar aulas particulares de musica.
Organista de igreja ganha dinheiro?
Apenas celebrações de casamento nós cobrávamos. Devo ter tocado em milhares de casamento desde 1976. Em 1998 marquei o número de casamentos em que toquei: foram 72 casamentos, só na catedral.
O órgão da catedral tem uma história?
Tem sim. Ele foi fabricado no Rio de Janeiro, feito pelos alemães, Guilherme Berner, e Carlos Möhrle isso em 1930, que também fez o órgão da Igreja dos Frades. Temos em Piracicaba dois grandes exemplares de Möhrle e Berner. Esse órgão da catedral foi construído para uma igreja de Santos, houve uma explosão de um gasoduto que afetou a estrutura da igreja de Santos, esse órgão foi vendido para Piracicaba que em 1967 estava fazendo 200 anos. O Comendador Mario Dedini adquiriu por um valor bastante significativo e deu de presente para a catedral. Foi montado pelo Rigatto, em 2003 foi reformado, inclusive participei da reforma pelo Frei Lauro Both. Tenho três vídeos que fiz na catedral, quem quiser acessar basta entrar no YouTube colocar “pianista Luiz” e irá acessar meus vídeos. Da Igreja dos Frades também fiz dois videos.
O orgão da Igreja dos Frades tem uma história também?
Esse orgão é da decada de 40. Se não me engano foi inaugurado em 1945. Foi o Möhrle quem construiu. Os tubos dele foram feitos no quintal da Igreja dos Frades. Os foles, registros, e outros componentes foram importados.
Além desses dois órgãos em Piracicaba há mais algum?
Tem da Escola de Música de Piracicaba, veio da Alemanha, trazido pelo Maestro Ernst Mahle. E tem um outro feito por uma pessoa do Rio Grande do Sul, que fica na capela da UNIMEP, é um excelente órgão. Portanto na cidade temos quatro órgãos de tubo.
Além de órgão você toca outro instrumento?
Na realidade sou pianista, embora seja um dos poucos que sabem tocar o órgão da catedral. A rigor todo pianista pode tocar órgão, mas tocar da forma correta são poucos. Desde 2006 sou pianista do Grande Hotel em Águas de São Pedro, me apresento todas as sextas e sábados das 7 às 11 horas da noite. Na Catedral de Santo Antonio toco na última missa dos domingos, às 19 horas, com exceção de cada terceiro domingo do mês, pelo fato de ser missa maronita.
Qual é o repertório?
Ali toco de tudo. Desde musicas do final do século XIX como Chiquinha Gonzaga, músicas mais antigas de filmes do século XX, o pessoal pede muito musicas de filmes antigos.
A faixa etária é elevada?
É alta. Têm jovens também. O pessoal gosta muito de mim porque toco musicas de todas as épocas. É um repertório bem refinado.
Uma pessoa com faixa etária mais elevada, que nunca executou nenhum instrumento musical, consegue estudar musica e executar em algum instrumento?
Consegue sim. Não digo que irá se transformar em um virtuoso, mas para o seu deleite poderá tocar suas musicas. Tive milhares de alunos, principalmente em órgão eletrônico, que até hoje tocam. Tive uma aluna de 80 anos! Para você ter idéia ela dava aula junto com Erotides de Campos! Ela começou a dar aula o Erotides ainda era vivo, ele dava aula de química e ela dava aula de português. Ela tinha predileção por uma música: E O Destino Desfolhou”, suspirava quando essa musica era tocada. A minha felicidade foi quando consegui com que ela tocasse essa música.
O que significa a musica para o ser humano?
A música é sublime, é a musica que torna o ser humano bom. Isso com relação à pessoa que executa a musica. Dificilmente você ira encontrar um musico que seja mau caráter. Podem existir exceções. O musico quando é fiel a musica, se dá inteiramente a musica, ele viaja. Transcende.
Você é casado?
Sou casado com Raquel Brancati, tenho dois filhos um rapaz e uma moça. Já sou avô.
Qual piano tem melhor som, o de cauda ou o armário?
Existem pianos tipo armário que são excelentes. E existem pianos de cauda que são um desastre. O piano de cauda tem um som mais potente. O piano de parede é uma harpa em pé. Para tocar não sinto muita diferença.
A afinação do piano é uma arte?
É uma questão complicada. Quando vou tocar normalmente o piano já está afinado. Quando é necessário afinar avisamos o responsável e ele providencia a afinação.
Você deve ter muitas histórias pitorescas.
Em casamentos aconteceram muitas coisas. Em Rio das Pedras em um casamento, eu estava bem próximo dos padrinhos e do noivo, o calor era intenso, durante a celebração, de repente o noivo desmaiou. Outra cena marcante foi quando acabou o casamento e o noivo saiu sozinho, correndo. Isso foi na Igreja São José, na década de 80. Eu sai também, fui correndo saber o que tinha acontecido. Perguntei ao noivo o que tinha ocorrido. Ele calmamente respondeu: “-É que eu não estava mais agüentando a vontade de fumar!” Voltei, toquei, e a noiva saiu sozinha, toda feliz, sorrindo.
Você já tocou com algum musico ou instrumentista famoso?
Toquei com alguns músicos da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo em um casamento na catedral. Acompanhei uma cantora lírica muito famosa. Conheço nmuitos artistas famosos que se hospedam no hotel: Jair Rodrigues, Ana Paula Padrão, grandes empresários.
Você já tocou fora de Piracicaba?
Toquei mais em cidades da região como Rio Claro, Charqueada, Santa Bárbara D Oeste, São Paulo. Em Bertioga dentro da capela do SESC tem um piano, eu estava sozinho comecei a tocar, começou a chegar gente, no fim encheu a capela, passei a fazer uma explicação da musica que estava tocando, foi uma coisa muito legal, gostaram tanto que pediram para fazer de novo no dia seguinte. Cada musica que eu tocava explicava a história.
Você conheceu Pedrinho Mattar?
Não conheci pessoalmente. Sempre admirei muito o seu trabalho. Ele era um virtuoso. Assim como eu ele era um grande improvisador, a arte de improvisar não existe mais. Os grandes compositores do século XVII, XVIII, XIX, improvisavam muito. Desses improvisos surgiram peças maravilhosas. Pedrinho Mattar era um grande improvisador, tinha uma técnica estonteante, mirabolante. Ele levou a musica clássica para um meio mais popular.
Você tem algum CD gravado?
Não. Ainda não apareceu nenhuma oportunidade. Tenho certeza de iria vender muito, meu estilo é bem romântico, a pessoa percebe logo qual é a musica, existem músicos que para saber qual musica estão tocando só é conhecida após executar metade da musica. Minha musica é bem quadradinha. Toco baixo, não faço barulho. O piano é como uma mulher, tem que tratar o piano com bastante delicadeza, com carinho. Se você tratar o piano com violência, no tapa, será um desastre. Dizem que o piano na minha mão ele canta, chora. Há uma integração muito forte entre o pianista e o piano. Aprendi isso com os grandes pianistas do século passado, ouvi muito Guiomar Novaes, Madalena Tagliaferro, Arthur Rubinstein. Eram os gênios do toque. Piano é toque. A ponta do dedo.
Você tem musicas inéditas no you tube?
Se você procurar por “pianistaluiz” no you tube terá a oportunidade de me ver executando o Hino Nacional Brasileiro no órgão de tubo. Acredito que seja um fato inédito.

Arquivo do blog